You are here
Comportamento 

“Rotas românticas” pelas estradas

Torcendo pelo fim da pandemia do novo coronavírus, e já pensando no momento em que será possível rodar sem preocupações, nada melhor que pegar a estrada e curtir cada momento de liberdade com seu amor, apreciando as paisagens. Vale lembrar que o momento é de cautela, e o planejamento para viagens futuras deve ser realizado com muito critério, sempre com foco na segurança, sugar baby! Guarde os roteiros e dicas para quando for possível viajar novamente com segurança.
ROTA ROMÂNTICA (Rio Grande do Sul)Passando por uma das maiores estradas do Brasil, o trecho da BR-116 que liga Porto Alegre a Nova Petrópolis tem paisagens muito encantadoras e bucólicas. Chamado de Via-Serrana, o destino está incluso na Rota Romântica da Serra Gaúcha, que passa por algumas pequenas cidades como Picada Café, Morro Reuter, Canela, Gramado e Novo Hamburgo.
ESTRADA REAL (Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro)A Estrada Real é considerada uma das maiores rotas turísticas do Brasil. São mais de 1.630 quilômetros de extensão, passando por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Pode-se dizer que ela resgata as tradições do percurso valorizando a identidade e as belezas da região. A sua história surge em meados do século 17, quando a Coroa Portuguesa decidiu oficializar os caminhos para o trânsito de ouro e diamantes de Minas Gerais até os portos do Rio de Janeiro. As trilhas que foram delegadas pela realeza ganharam o nome de Estrada Real. Existem quatro caminhos: Caminho Velho (também chamado de Caminho do Ouro, foi o primeiro trajeto determinado pela Coroa Portuguesa e liga Ouro Preto a Paraty), Caminho Novo (criado para servir como um caminho mais seguro ao porto do Rio de Janeiro, principalmente porque as cargas estavam sujeitas a ataques piratas na rota marítima entre Paraty e Rio), Caminho dos Diamantes (o caminho tinha a intenção de conectar a sede da Capitania, Ouro Preto, à principal cidade de exploração de diamantes, Diamantina) e o Caminho Sabarabuçu (Distrito de Ouro Preto, o lugar é cercado por esplêndidas paisagens de montanha e lendas que permeiam o imaginário popular.) Saindo de Ouro Preto, é possível ir até Paraty, no Rio de Janeiro, passando por Barbacena, Juiz de Fora e Petrópolis, só observando a natureza.
ROTA DO SOL (Rio Grande do Norte)Para quem pretende viajar pelo Nordeste, a dica é pegar a RN-063, que vai da praia de Ponta Negra, ao sul de Natal (RN), até a praia da Pipa, uma das mais bonitas da capital. O trecho inclui a faixa litorânea de Cotovelo, Pirangi (onde fica o maior cajueiro do mundo), Búzios, Tabatinga, Camurupim e Barreta. Mas atenção: é preciso ficar atento aos trechos de estrada mais estreita e também aos animais que cruzam a pista.

ROTA DOS BANDEIRANTES (São Paulo)Nesta sugestão, serão percorridos cerca de 180 quilômetros, passando por oito cidades paulistas: Santana do Parnaíba, Pirapora do Bom Jesus, Araçariguama, Cabreúva, Itu, Salto, Porto Feliz e Tietê. Essa região teve grande importância para o desenvolvimento do Estado de São Paulo e cada uma das cidades possui atrativos que contam parte da história local. As cidades da Rota dos Bandeirantes fazem parte de um polo de referência histórico-cultural para todo o Brasil.

RIO-SANTOS (Rio de Janeiro e São Paulo)Para quem curte praias, o litoral Norte paulista é conhecido por reunir belas praias de São Paulo e um dos trajetos para se chegar até elas é pela BR-101, que chega até Paraty e Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. Totalizando 457 km de extensão, percorre várias praias até chegar ao destino final: Santos, Guarujá, Boraceia, Jureia, Juquehy, Maresias, Ubatuba e Ilhabela. Rodeada de verde, conta com trechos retos e sinuosos ao longo do caminho, altos e baixos aos pés de morros, de onde é possível avistar o mar vez ou outra quando o céu está limpo.

Fonte: www.harley-davidson.com.br

Related posts

Leave a Comment